Eletrificação da Linha do Douro: Concurso para a nova empreitada em curso desde dezembro

Eletrificação da Linha do Douro: Concurso para a nova empreitada em curso desde dezembro

Válter Almeida, gestor de Empreendimento das Infraestruturas de Portugal, transmitiu na conferência “Por mais comboio…”, que se realizou no passado sábado, dia 13 de janeiro, que “foi já desenvolvido o projeto de conclusão da Eletrificação + Renovação Integral da Via do Troço Caíde-Marco, encontrando-se em curso desde dezembro último o concurso para a nova empreitada, com preço base de 15 milhões de euros”. Foi ainda recordado que, devido às obras, está prevista a paralisação dos comboios durante três meses.

A conferência foi surgiu no âmbito do projeto Comércio Investe, de onde saiu a Linha do Comércio, uma plataforma de comércio tradicional online. Foi promovida pela Associação Empresarial de Vila Meã, no Cineteatro Raimundo Magalhães e contou com dois painéis. As entidades oradoras foram: Infraestruturas de Portugal (IP), Comissão de Utentes da Linha do Douro, Câmaras Municipais de Valongo, Paredes, Amarante e Marco de Canaveses e Junta de Freguesia de Vila Meã.

Foi defendida a eletrificação e apontada a falta de aparcamento

José Manuel Ribeiro, presidente da Câmara de Valongo, explicou que a eletrificação levou “muita gente para o concelho, basta ver pelos 800 lugares de estacionamento que temos nos quatro apeadeiros e duas estações que não chegam. Sentiu-se muito a eletrificação, porque como este meio de transporte é muito rápido e pontual, ajuda imenso a população”.

Beatriz Meireles, vereadora dos pelouros da Ação Social, Cultura e Turismo, da Câmara Municipal de Paredes, deu conta que também ali se verifica falta de estacionamento. “A eletrificação da linha ajuda a levar mais pessoas aos eventos que se realizam em Paredes e, acredito, que se os outros municípios tiverem a eletrificação, Paredes também ganhará com isso”, salientou ainda.

Sobre possíveis desvantagens da eletrificação, tanto os autarcas de Valongo e Paredes afirmaram que as pessoas e o comércio tradicional têm de se adaptar, tal como aconteceu com o comboio.

por mais comboio (4)

José Luís Gaspar, presidente da Câmara de Amarante, alertou que se a estação de Vila Meã não tiver estacionamento, “não terá a utilidade máxima que nós desejaríamos. Também temos a questão de segurança, temos a passagem inferior para peão que não está acautelada, e também temos o desnivelamento da passagem. Mas claro que a eletrificação será muito bom para todos nós, vai aproximar-nos. A eletrificação trará uma nova estratégia para o território”.

Também a presidente da Câmara Municipal do Marco de Canaveses, Cristina Vieira, defendeu mais uma vez a eletrificação. “Tenho a certeza que esta eletrificação da linha dará um contributo muito grande para potenciar o desenvolvimento económico, cultural e também turístico para Marco de Canaveses”, sublinhou a autarca. A presidente do município marcoense mencionou ainda a necessidade de parques de estacionamento. “Já estamos a construir um parque de estacionamento na estação de Marco de Canaveses e estamos a ver com a IP para construir um na Livração. O comboio e a linha vão ser revitalizados mas temos de intensificar a nossa ação naquilo que está à volta do comboio e da estação”, referiu.

Lino Macedo, presidente da Junta de Freguesia de Vila Meã, enalteceu a realização da conferência e sublinhou: “o que eu queria mesmo é que o comboio parasse em Vila Meã, mas com as obras acredito que o comboio parará mais vezes na nossa estação”.

por mais comboio (8)

A Comissão de Utentes da Linha do Douro encerrou o painel, por voz Manuel Cardoso. “Isto é uma mais-valia que já devia ter sido feita há muito nesta região”, defendeu, em relação ao impacto da eletrificação na vida das pessoas. Quanto a Vila Meã, “se não for feito um parque de estacionamento as pessoas não terão onde estacionar o carro e, por isso, não virão para cá”, considerou o responsável.

Durante a sessão foram esclarecidos investimentos por parte da Infraestruturas de Portugal, foram enumeradas vantagens e impactos da eletrificação da linha, bem como expetativas e preocupações. Houve ainda espaço para debate e esclarecimento de dúvidas do público.

 

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta