Santa Saúde: Higiene íntima: para mulheres sempre confortáveis!

Santa Saúde: Higiene íntima: para mulheres sempre confortáveis!

A região genital feminina é uma área anatómica em contacto com urina, fezes e fluido vaginal. O muco vaginal, o seu pH, a integridade da pele/mucosa e a presença de bactérias contribuem para a defesa natural dos órgãos genitais. Os hábitos de higiene são importantes para a manutenção doseu equilíbrio.

A forma como cada mulher realiza os cuidados de higiene é frequentemente abordado na consulta de Ginecologia. Não é raro identificar conceitos ultrapassados que conduzem ao agravamento de queixas das senhoras.

Ahigiene genital deverá ser realizada 1-3 vezes por dia, durante dois a três minutos, com água corrente e produtos de limpeza adequados. Começa-se pela região da vulva e termina sempre na região anal. Devem ser lembradas todas as pregas, nomeadamente entre os lábios vulvares e clitóris. Depoisrealiza-seuma secagem suave, sem esfregar, com toalha limpa. No final, poderá proceder-se à hidratação desta área.

Durante a menstruação e em períodos de maior calor, o número de lavagens poderá ter de ser maior. Por outro lado, proceder a lavagem sempre que se vai à casa de banho é exagerado.

Por forma a poderem realizar estes cuidados da melhor maneira, todas as mulheres deveriam ser conhecedoras da anatomia vulvar – o que pode ser conseguido facilmente com, por exemplo, o recurso a um pequeno espelho.

Existem no mercado produtos específicos e adaptados à higiene desta área. São geralmente hipoalergénicos, suaves e com pH ácido, para respeitar o equilíbrio natural. Os sabões em barra tradicionais, como o sabão rosa ou azul, são alcalinos e levam a secura excessiva da pele, devendo ser evitados. Os produtos em gel são, em geral, mais suaves. Atualmente, existem no mercado toalhetes humedecidos que podem ser uma solução se usados ocasionalmente.

O uso regular de pensos higiénicos deve ser evitado. A roupa interior deve ser trocada diariamente e, depois de lavada, deve ser muito bem enxaguada, para remoção dos produtos químicos dos detergentes.

Cada mulher, em cada fase de vida, tem necessidades diferentes. Por exemplo, na menopausa, os cuidados de hidratação podem ser determinantes para proporcionar conforto.

As lavagens e irrigações vaginais devem ser evitadas, como a utilização de perfumes e desodorizantes. Existem formulações “desinfetantes” que só se destinam a utilizar em contextos muito específicos, como a preparação pré-operatória em algumas cirurgias ginecológicas.

Lembre-se:o objetivo da higiene genital é ajudar ao equilíbrio local e não desinfetar ou esterilizar a área!

santa-saude
Marta Barbosa
Assistente Hospitalar de Ginecologia e Obstetrícia no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho, EPE e no Hospital da Santa Casa da Misericórdia do Marco de Canaveses
Artigo elaborado em parceria com a Santa Casa da Misericórdia de Marco de Canaveses.

 

A Verdade
ADMINISTRATOR
PERFIL

Deixar um comentário

O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios marcados com um *

Cancelar resposta